Bexiga caída: dá para tratar com fisioterapia!

A bexiga, o útero e o intestino reto são órgãos que ficam localizados na pelve e são sustentados pelos chamados músculos do períneo. Mas, quando esses músculos enfraquecem muitas mulheres podem ser diagnosticadas, por exemplo, com prolapso da bexiga, a famosa bexiga caída.

O prolapso é decorrente de perda de suporte das paredes vaginais, fraqueza dos músculos, alteração de colágeno, perda de elasticidade ou lesão ligamentar.

A mudança na estrutura muscular se dá por alguns motivos, como depois de partos – devido à pressão do bebê sobre a bexiga -, em mulheres que levantam objetos muito pesados ou que sofrem a muito tempo de prisão de ventre já que acabam exigindo demais da região. Como consequência, a bexiga ‘desliza’ e sai da sua posição ideal.

Existem três graus de bexiga caída, o primeiro é leve com pouca mudança, no segundo a bexiga quase chega à abertura da vagina e no terceiro e mais grave a bexiga sobressai à abertura vaginal.

Alguns dos sintomas são: sensação de evacuação incompleta, incontinência urinária, presença de algo que sobressai a vagina e infecção da bexiga recorrente.

O fortalecimento da musculatura do períneo previne e trata a patologia, por isso a fisioterapia tem assumido um papel importante nesses casos, devolvendo a qualidade de vida a essas mulheres.

Os recursos disponíveis nesse tratamento são o treinamento do músculo do assoalho pélvico por meio de exercícios de kegel, cinesioterapia, biofeedback, cones vaginais ou eletroestimulação. A cinesioterapia, por exemplo, visa contrair de forma voluntária e repetida o assoalha pélvico aumentando a força e a resistência muscular. Procure orientação e resolve o quanto antes esse tipo de desconforto.

 

Ative fisioterapia especializada

Para agendar uma consulta ou uma aula experimental ligue para (11) 3331 7669.

Deixe uma Mensagem